EmiratesAdidas
Real Madrid - Unicaja

68-95: Vencedores da Taça do Rei!

Ver galeriaVer video

CRÓNICA | 16/02/2020 | Edu Bueno (Málaga) | FOTÓGRAFO: Pedro Castillo

O Real Madrid impõe-se de forma brilhante ao Unicaja em Málaga e conquista o troféu pela 28ª vez. Campazzo, eleito MVP da competição.
  • Taça do Rei
  • Final
  • Dom, 16 Fev
Martín Carpena (Málaga)
68
95
O Real Madrid proclamou-se vencedor da Taça do Rei 2020 ao vencer o Unicaja de Málaga na final disputada no Martín Carpena, mesmo palco onde venceu há seis anos. É o sexto troféu da Taça em 9 anos e o número 28 da história do clube para engordar um palmarés que nas últimas nove temporadas, com Laso no banco, juntou mais 19 títulos. O de hoje foi com o valor acrescentado de ser conquistado em casa do anfitrião, com outra exibição muito sólida a partir da defesa e um domínio esmagador do jogo. Nova grande exibição  de Campazzo (13 pontos, 13 assistências e 29 de valorização), que levou para casa o troféu MVP do torneio, o terceiro consecutivo após a final da Liga ACB e da Supertaça. E grande jogo de Carroll (20 pontos). Llull cumpriu os 800 jogos com a camisola blanca e os madridistas juntam este troféu ao da Supertaça até agora na temporada.

Ambiente de gala para a final e a tensão própria de um jogo assim. Esteve presente desde o início, com duas equipas cometendo mais imprecisões que nos dias anteriores. Ainda assim, o Real Madrid tomou a dianteira cedo graças ao seu bom trabalho na defesa e a eficácia nos triplos (5/8). Com 8-10 no minuto 4 e Reyes em campo por Tavares, primeiro esticão liderado por Campazzo (7 pontos e 4 assistências), Randolph (5) e o melhor Carroll (10). Entre os três, 22 dos 26 pontos no primeiro quarto da sua equipa, que terminou com o dobro da vantagem no marcador após um parcial de 5-16 (13-26, min. 10).

Triplos e defesa
O Unicaja não conseguia superar a agressiva defesa dos jogadores de Laso, que continuaram a castigar com triplos sucessivos de Rudy na entrada do segundo quarto. Outro mais de Thompkins fazia disparar o Real Madrid com a maior diferença de +21 pontos (14-35, minuto 14). Reagiu rápido o anfitrião, ajudado pelos seus seguidores e pelo empurrão de Brizuela (10 pontos) alcançou um parcial de 12-0 com o qual a desvantagem era inferior a 10 pontos (26-35, min. 18). Uma quebra madridista no ataque mas não tanto de sensações. A sua defesa, permitindo apenas 28 pontos ao conjunto da casa na primeira parte, aguentou a vantagem e apenas era questão de voltar a ter pontaria. E esta apareceu no último minuto e meio antes do descanso com triplos de Taylor e Campazzo (10 da equipa nesta parte) e um cesto de Llull para acalmar os ânimos dos jogadores de Málaga (28-43, min. 20).

Segundo título da temporada para o Real Madrid depois da Supertaça.

O Real Madrid arrefeceu a final com a sua entrada no terceiro quarto. A sua máxima concentração em ambas as tabelas levou a que fosse aumentando o parcial, agora com a contribuição de Tavares e da dupla Carroll-Campazzo. A sensação de controlo era total por estas alturas com vantagens superiores a 20 pontos durante quase todo este período, até chegar aos 28 com 40-68 aos 30’ após o quarto triplo do segundo base norte-americano. A sua exibição foi reconhecida pelo Martín Carpena com uma ovação quando foi substituído. Os blancos tinham rompido definitivamente o encontro antes de entrar na recta final.

Uma Taça perfeita
A espectacular exibição desta tarde deu continuidade à dos quartos e à das meias-finais, e o Real Madrid fechou uma Taça do Rei que será recordada pela autoridade com que conquistou o troféu. Campazzo, eleito depois MVP, somava assistências com aparente facilidade e no último quarto já estava no duplo-duplo (acabou com 13 pontos, 13 assistências e 29 de valorização). Foi acompanhado por outros 5 jogadores com dois dígitos em valorização (Carroll, Randolph, Deck, Tavares e Thompkins). Não houve mais história que a ditada pelo Real Madrid e o Martín Carpena rendeu-se ao conjunto de Laso e aos seus jogadores (68-95, min. 40). O Madrid domina a temporada e conquistou os dois títulos disputados: Supertaça e Taça do Rei.

Pesquisar