EmiratesAdidas
Barcelona - Real Madrid

85-90: O Real Madrid vence a Liga e faz história

Ver galeria

CRÓNICA | 24/06/2015 | Edu Bueno

Os brancos derrotam por 3-0 o Barcelona na final e conquistam os quatro títulos da temporada. Llull, MVP.
  • Liga Endesa
  • Final (Terceira mão)
  • Qua, 24 Jun
Palau Blaugrana
85
90
O Real Madrid proclamou-se vencedor da Liga pela 32ª vez ao impôr-se ao Barcelona na final por um contundente 3-0. Os brancos somaram no Palau o ponto definitivo num terceiro encontro que decidiram com um brilhante jogo de equipa, com cinco jogadores com mais de 10 pontos e liderados pelos 19 de Carroll. O Real Madrid assina a melhor temporada da história após conquistar a Taça dos Campeões Europeus, Liga, Taça do Rei e Supertaça. Um poker de títulos inédito no basquetebol espanhol. 

O primeiro jogo no Palau começou com Xavi Pascual a mover fichas com a entrada no cinco inicial de Hezonja e Doellman, os melhores homens em Madrid, para tentar surpreender os visitantes. Não foi assim apesar do empenho de Tomic, que dominou a zona restritiva com pontos (12) e ressaltos. Os brancos responderam ao arranque dos locais com o habitual jogo de equipa, no qual se destacaram Rivers (5) e Rudy (4), mantendo a igualdade total noprimeiro período (17-17). 

A segunda equipa rompe a simetria
O que torna diferente este Real Madrid é a profundidade do plantel. No segundo período fez uma demonstração do seu poder colectivo, elevando os níveis de intensidade com a aparição do seu banco. Foi a vez de Sergio Rodriguez, Carroll, Nocioni e Slaughter, com Ayón como referência na zona restritiva perante a ausência de Reyes com duas faltas. 

O Madrid viveu os melhores minutos. Castigou a defesa azul grená desde o perímetro. Quatro triplos, dois de Carroll (8 pontos), outro do todo terreno Maciulis (7+5 ressaltos), e mais um de Sergio Rodriguez, juntamente com a melhoria no ressalto defensivo, deram-lhes a maior vantagem aos 17' com o resultado em 26-40, após um parcial de 9-23 (17-31 neste período). Nessa altura, os 10 madridistas com minutos jogados já tinham marcado pontos. O Barcelona, desfigurado pela solidez branca (Satoransky foi penalizado com uma falta anti-desportiva por acertar uma cotovelada na cara de Ayón), continuava a depender de Tomic e dos triplos de Doellman (34-48, min. 20). 

Supera as tripletas do Madrid das temporadas 64-65 e 73-74. 

Os azul grená apertaram no terceiro período. Ajudados pelos adeptos e com um pé na beira do abismo, encontraram a solução para jogar contra um Madrid que baixou a intensidade defensiva. Llull, Reyes e Rivers continham a investida do Barcelona com alguns cestos (51-62 aos 27'). Mas o Barcelona, com a energia do quarteto Satoransky, Oleson, Abrines (11 pontos) e Tomic (22), culminou a recuperação com um parcial de 16-0 entre os 27' e os 30', apenas interrompido por um triplo de Chacho sobre a buzina do final do terceiro período (67-65, min. 30). 

Reacção madridista
Laso voltou à solução que tão bem tinha funcionado no segundo período, com um quinteto de guerreiros. Revelou-se providencial. Os brancos recuperaram a confiança na defesa para cortar a ascensão do adversário. Com Chacho a marcar dois triplos consecutivos, o que encerrou o terceiro período e abriu o último, Carroll e Nocioni a assumirem o papel ofensivo, e Maciulis a realizar um jogo perfeito em ambos os lados do campo, o Madrid deu um golpe de autoridade à dinâmica do jogo com um parcial de 19-6 (73-84, min. 36').  

Carroll decide
Os locais tentaram até ao final. Um 10-2 liderado por Tomic deixou-os a três pontos à entrada para o último minuto com 83-86 no marcador. Mas o Madrid queria fazer história. Carroll, o melhor marcador do jogo (19 pontos), marcou um cesto decisivo a faltarem 14 segundos com Oleson em cima, para colocar o resultado em 83-88. Llull respondeu com dois lançamentos livres a um cesto de Tomic a 8 segundos e na jogada seguinte sentenciou a Liga com uma grande defesa (85-90, min. 40). 

Ficha técnica
BARCELONA 85 (17+17+33+18):
Satoransky (10), Oleson (10), Hezonja (0), Doellman (12) e Tomic (29).--cinco inicial--; Thomas (0), Huertas (1), Abrines (16), Nachbar (2), Jackson (3), Pleiss (2) e Lampe (-).
REAL MADRID  90 (17+31+17+25): Llull (10), Rudy (4), Rivers (9), Reyes (6) e Ayón (8) --cinco inicial--; Carroll (19), Sergio Rodríguez (11), Bourousis (-), Nocioni (11), Maciulis (10), Slaughter (2) e Mejri (-).

5

Extremo

9

Extremo-poste

Pesquisar