EmiratesAdidas
Unicaja - Real Madrid

79-89: O Real Madrid já está na final

Ver video

CRÓNICA | 12/06/2014

Vitória no prolongamento em Málaga e grande exibição de Llull e Reyes
  • Liga Endesa
  • 4 (Playoff Meias-finais)
  • Qui, 12 Jun
Martín Carpena
79
89
Objectivo atingido. O Real Madrid, que viajou a Málaga com o intuito de regressar apurado para final, cumpriu a missão. A formação de Laso, que proporcionou com o Unicasa uma intensa série de jogos nestas meias-finais, carimbou o passaporte no quarto encontro, no qual selou o definitivo 3-1. Os madridistas tiveram de esperar até ao prolongamento para destroçar a equipa de Plaza. Reyes e Llull, com 22 pontos cada, acabaram com toda e qualquer expectativa.

Ambiente electrizante na Carpena. Com dois cincos diferentes, Slaughter em vez de Mirotic, no Madrid, e Stimac por Vázquez no Unicasa, as equipas começaram a mostrar as suas cartas. Durou pouco Slaughter, que logo na primeira jogada sofreu uma entorse no tornozelo esquerdo. Os brancos, que arrancaram na frente do marcador, graças às acções de Llull e Bourousis, cedo sentiram o entusiasmo dos malaguenhos, com um Toolson muito bem debaixo do cesto e acerto nas marcações.

Mas o Madrid estava intenso e assertivo. Rudy, omnipresente de novo, encadeou duas acções seguidas, um triplo e um cesto na passada, que deram início a um parcial de 11-0, colocando a diferença máxima no placard electrónico a favor dos brancos (12-22), Para além disso, os seus seis ressaltos nesses primeiros minutos levaram-no a ser o jogador mais valioso de um primeiro período que acabou 17-24, graças ainda ao labor de Stimac, que maquilhou o resultado nos instantes finais.

Domínio nos ressaltos até ao intervalo
Um desajuste na defesa permitiu aos locais dar um passo em frente. Mas Reyes afirmou-se e disse basta. Activo a marcar, o capitão fez seis pontos conseutivos para a sua equipa, novamente um +11 (21-32, min 13). Auxiliado por Bourousis no ressalto, os brancos continuaram a somar. Quando parecia que estava tudo a carburar devidamente, os de Plaza voltaram a fazer estragos e seguiram à risca os cânticos vindos das bancadas: "Sim, somos capazes"

REAL MADRID JOGARÁ o PRIMEIRO JOGO DA FINAL NA QUINTA-FEIRA (19) NO PALÁCIO

Com Caner-Medley e Kuzminskas como principais marcadores, os brancos cederam à pressão imposta por uma equipa que fez da velocidade a sua arma, tendo os visitados chegado ao intervalo com o resultado 32-35. A melhor notícia para o Real Madrid por essa altura, apesar de estar por cima no marcador (37-35), era o domínio nos ressaltos.

Sempre Reyes
O Real Madrid começou a dominar. Rudy voltou a marcar a diferença. Tanto a marcar como atento ao ressalto. Mas era Reyes, outra vez, que recolhia os galões e era o cérebro da equipa. O capitão já era o melhor marcador e junto ao balear, a Bourousis e ao incombustível Llul mantinham viva a equilibradíssima eliminatória.

A quarta falta de Bourousis foi uma má notícia e ainda por cima tendo em conta os problemas com as lesões dos gigantes do Real Madrid. Apesar disso e de uma arbitragem benevolente com a equipa da casa, os brancos chegaram ao último quarto com a vantagem de um ponto (55-56).

O quarto período de Carroll e os triplos deChacho
Carroll surgiu em força. Quatro pontos consecutivos, afundanço incluído, marcaram o início do quarto e último período. No entanto, a escolta de Wyoming continuou a dar espectáculo. A ele juntou-se Salah Mejri, que com um roubo de bola e um afundanço, bem como alguns dos ressaltos mais importantes da partida, reivindicou o protagonismo. Os malaguenhos ameaçaram frequentemente, graças a Vázquez e Toolson, acabando por levar a decisão para o prolongamento, à custa de uma dinâmica muito positiva da equipa ao registar um parcial de 7-0.

O prolongamento
Reyes y Llull puxaram dos galões no prolongamento, Ambos, logrando aguentar uns momentos de enorme intensidade, carregaram a equipa às costas e venceram a um muito digno Unicasa, que vendeu cara a derrota até ao último segundo. O Real Madrid acede à terceira final da ACB consecutiva.

UNICAJA DE MÁLAGA 79 (17+18+20+18+6): Granger (4), Toolson (17), Suárez (12), Caner-Medley (13) e Stimac (7) -cinco inicial- Calloway (3), Urtasun (-), Vidal (-), Kuzminskas (9), Hettsheimeir (6) e Vázquez (8). 

REAL MADRID 89 (24+13+19+17+16): Llull (22), Rudy (9), Darden(-), Slaughter (2) e Bourousis (8) -cinco inicial- S. Rodríguez (9), Carroll (11), Reyes (22), Díez (-), Mirotic (2) Mejri (4).

23

Base-escolta

9

Extremo-poste

Pesquisar