EmiratesAdidas
Real Madrid - Schalke 04

Ramos: “Seria um sonho disputar a final da Champions League”

NOTÍCIA | 27/04/2014

“No jogo de Munique já veremos quem é melhor e quem faz menos erros”, confessou o defesa do Real Madrid.
Apenas faltam dois dias para disputar a segunda mão da meia-final da Taça da Europa e Sergio Ramos espera impaciente que chegue o jogo frente ao Bayern de Munique. Em declarações à revista Champions, o segundo capitão disse: “As coisas estão a correr bem e com o trabalho que estamos a fazer acreditamos que tudo é possível. Será um grande jogo e já veremos quem é o melhor e quem vai cometer menos erros. Esperamos que tudo aconteça como queremos e seria um sonho disputar uma final da Champions League”.

“O Bayern é um dos melhores do mundo e talvez seja uma das equipas mais competitivas. Não é suficiente ter apenas bons jogadores. Quando se enfrenta um grande rival há que lutar também. Acho que o Bayern fez tudo bem estes últimos anos”.

A última meia-final com o Bayern
“Foi duro mas há que esquecer, deixar as más recordações aí. Também há aspetos positivos no desporto. Estes são os momentos que definem a carreira profissional. Esperamos que tudo corra bem e que finalmente seja possível jogar uma final de Champions League”.

A importância de ganhar este título
“É um sonho. Sinto-me um privilegiado em ter ganha quase todos os títulos a nivel professional mas ainda me falta a Liga de Campeões. Nunca foi uma obsessão ou amor especial, mas quando te falta algo no teu currículum é isso que chama a atenção. Não é uma obsessão constante, mas seria a realização de um sonho”.

A pressão de jogar no Real Madrid
“Quando és contratado por um dos clubes maiores do mundo sabes quais são as consequências. Cada vez que entras em campo já sabes o que te pedem. Temos a sorte de jogar no Real Madrid. Pode dizer-se que isso supõe muita pressão, mas ao fim do dia é isso que te faz sentir importante e diferente dos outros jogadores. Há que saber viver com isso".

As virtudes de Ancelotti
“É uma excelente pessoa, muito carinhoso, simples e humilde. O bom caráter que tem é contagiante e está sempre próximo dos jogadores. Não é apenas um treinador, por isso temos tanto respeito por ele. Tem uma grande sensibilidade e, por isso, temos com ele uma relação que não é só profissional. Carlo é uma pessoa muito tranquila. Amável e tem bom humor. Pode ser um amigo fora do trabalho ”.

TEMOS UM SENTIMENTO COMÚM NO BALNEÁRIO E ESSA É A CHAVE DO ÊXITO.

“Entende o nosso trabalho. Sabe o que é ser futebolista porque foi jogador. Sabe o que é ganhar títulos e quando o jogador não está bem. Estamos muito contentes com a sua filosofia e com a sua forma de trabalhar. Tem todo o apoio da equipa. Acreditamos e confiamos plenamente nos métodos de trabalho dele”.

O objetivo do defesa central
“Ao longo da nossa vida ensinam-nos que a defesa não é um lugar complicado. Que tens que ser robusto, rápido, estar bem colocado e estar sempre atento. Existe o perigo acrescentado de estar ao lado do guarda-redes e qualquer erro pode custar um golo”.

"Já joguei como lateral e como defensa central e são duas posições diferentes. Fui feliz em ambas. Tenho a sorte de ter sido campeão europeu e mundial, a jogar na direita e também ganhei títulos como central. Talvez neste momento prefira a posição de central”.

Espelho futebolístico
“Tive a sorte e o privilégio de jogar com os melhores do mundo. No balneário: Ronaldo, Zidane, Raúl, não sei... Roberto Carlos. Joguei com todas estas estrelas. Mas, talvez, por admiração ou rivalidade, olhei muito para Paolo Maldini e Fernando Hierro. Vejo-me refletido neles devido à minha posição em campo”.

Pesquisar