EmiratesAdidas
Juventus - Real Madrid

Ramos: “Ganhar a Décima Segunda era importante para consagrar a equipa”

Ver video

NOTÍCIA | 03/06/2020

"O segredo foi pressionar alto na segunda parte para roubar a bola no campo adversário", disse o capitão aos meios oficiais da UEFA.
Sergio Ramos recordou a conquista da Décima Segunda numa entrevista aos meios oficiais da UEFA por ocasião do terceiro aniversário daquele dia inesquecível para o madridismo: "Sabíamos que iria ser novamente uma final complicada, desta vez contra a Juventus. Tínhamos em mente conseguir a terceira Champions League porque era importante para consagrar a equipa. Isso foi um extra de motivação”.

“Ao intervalo, Zidane fez fica-pé para continuarmos a manter o domínio e o controlo do jogo para tirar a bola à Juventus e para que chegasse com pouco perigo. Na primeira parte, pelo respeito que as duas equipas tinham uma pela outra, talvez não tivéssemos pressionado tão alto, mas na segunda parte foi o segredo para roubar a bola no campo adversário".  

A pressão como solução
"Foi uma solução que deu bons frutos. Começámos a tocar a bola, a ter paciência para chegar à frente sem precipitações e no final conseguimos aquilo que também queria o mister. A comemoração foi a confirmação de que éramos de novo campeões da Champions League, a terceira para mim".

Para mim foi uma motivação extra tentar ganhar a minha terceira Champions League.

"Lembro-me perfeitamente do primeiro golo. Roubámos lá atrás e saímos rapidamente para o contra-ataque porque sabíamos que podíamos causar muitos estragos com jogadores tão rápidos. Lembro-me duma subida muito rápida de Carvajal pela faixa, Cristiano Ronaldo vai para cima da defesa para a atrair, volta a abrir e Dani faz um passe atrasado. Fizemo-lo na perfeição porque era muito importante começar o jogo a ganhar".

O empate da Juventus
"No golo de Mandzukic havia pouco a fazer da nossa parte. Foi uma genialidade e um golaço. A bola vem de um colega de equipa dele, domina-a de peito e faz uma bicicleta extraordinária face à qual Keylor Navas não pôde fazer nada".

Asensio fechou o jogo
"Toda a gente gosta de marcar nas finais porque são golos que passam à história, mas já com 1-3 o importante era matar o jogo. Tanto fazia que marcasse Marco Asensio ou eu. Apesar de que se o Marco não tivesse marcado, eu estava desejoso de fazer o golo porque estava atrás dele".

Pesquisar