EmiratesAdidas

Kirolbet Baskonia - Real Madrid

85-96: O Real Madrid conquista a sua 34ª Liga de basquetebol

Ver galeriaVer video

CRÓNICA | 19/06/2018 | Edu Bueno | FOTÓGRAFO: Víctor Carretero

Voltou a ganhar ao Baskonia no quarto jogo na Buesa Arena e fez o definitivo 3-1. Rudy, autor de 27 pontos e 33 de valorização foi o MVP da final.
  • Playoff Liga Endesa
  • Jogo 4 (Final)
  • 19/06/2018
Fernando Buesa Arena
85
96
O Real Madrid proclamou-se campeão da Liga Endesa pela trigésima quarta vez na sua história após derrotar o Baskonia no quarto jogo da final na Buesa Arena e somar o 3-1 definitivo. Os blancos demonstraram de novo o seu ADN vencedor e superaram um adversário e um público difícil, liderados pelo MVP, Rudy Fernández, decisivo com 27 pontos, 17 deles no terceiro quarto, e 33 de valorização. Campazzo (17 e 20) e Ayón (14 e 18), em evidência. A era Laso continua a engordar o seu palmarés: 15 títulos em sete temporadas. E o Real Madrid agiganta a sua lenda com a sétima dobradinha de Liga e Taça dos Campeões Europeus da sua história, numa temporada espectacular na qual as lesões não derrotaram o clube mais laureado do basquetebol continental. 

Com o salto inicial, o Real Madrid já estava perante a temporada com mais jogos da sua história. O número 83 começou com um guião muito diferente dos três anteriores. Menos acerto e um nível físico muito alto, que os blancos não contavam. Foi o Baskonia que parecia tomar a iniciativa graças a dois triplos seguidos de Janning (21-14, min. 7), frente a um Madrid mais cómodo perto da tabela, que anotou 16 dos seus 18 pontos na zona restritiva (6 de Carroll), mas as cinco perdas de bola impediram de sair a ganhar no primeiro quarto (21-18).

Defesa e Rudy
O Madrid aumentou a intensidade atrás no segundo quarto e controlou o ressalto defensivo. No ataque encontrou o caminho para marcar triplos com um imperial Rudy, que liderou a reviravolta da sua equipa com 17 pontos e 21 de valorização neste quarto! Os mesmo pontos que marcou o Baskonia nos segundos dez minutos. Um parcial de 15-2 dava a maior vantagem para os blancos de +6 aos 15’, uma vantagem que aguentou até ao intervalo com o Baskonia a tentar neutralizá-la com uns bons minutos de Granger (38-42, min. 20).

Quarto título da Liga nos últimos seis anos.

O jogo aqueceu no recomeço mas os blancos não vacilaram e mantiveram-se frios perante a asfixiante pressão da Buesa Arena e de um Baskonia a insistir através de Huertas e Beaubois que carregavam os seus (51-52, min. 25).

Força mental
Com o encontro numa troca de golpe, o Real Madrid deu um passo em frente. Outra vez a defesa, com o quinteto formado por Campazzo, Causeur, Rudy, Thompkins e Ayón, encadeou uns minutos finais do terceiro quarto de uma enorme solidez. Grandes minutos do base argentino na liderança, e de Causeur e Ayón no aspecto ofensivo, enquanto que Rudy marcava o seu quinto tduplo. Tudo isso se traduziu num 13-2 para entrar no último período com +8 (57-65).

O Madrid aguentou a última investida  
Rudy, com o seu sexto triplo (27 pontos e 33 de valorização), e Ayón, levaram os blancos a um +11 com 64-75 no minuto 35. Uma diferença que da forma como decorria o jogo aproximava o título. Mas havia que sofrer. Beaubois liderou um parcial de 7-0, em apenas dois minutos para colocar o Baskonia na luta pela vitória (73-77, min. 37). O teste definitivo para o futuro campeão. Com a inércia a favor da equipa da casa, o Real Madrid demonstrou o seu grande segredo deste ano: ser uma EQUIPA com letras grandes. Com 78-81 e a 2:40 para o final, Doncic marcou o triplo decisivo nos últimos instantes de se gastarem os 24 segundos de tempo de ataque. Foi o golpe definitivo para a moral do Baskonia. Campazzo garantiu o título 34 com outros dois triplos para o 85-96 final. A Liga volta a ser blanca. A quarta nos últimos seis anos.  
 

Buscar