EmiratesAdidas
Real Madrid - Olympiacos

83-69: Do Palácio para a Final Four

Galeria

CRÓNICA | 25/04/2014 | C. T. | FOTÓGRAFO: Antonio Villalba

O Real Madrid eliminou o Olympiacos no quinto jogo, no qual Llull, Reyes e o público foram decisivos.
  • Euroliga
  • 5 (Quartos-de-final)
  • Sex, 25 Abr 25/04/2014
Palácio dos Desportos
83
69
Não era dia para brincadeiras. Era jornada decisiva; de exigência máxima, tanto no campo como nas bancadas. E foi proveitoso para todos. O Real Madrid colocou em prática todo o trabalho desenvolvido durante a época e não defraudou as expectativas. Os jogadores, conscientes da importância do jogo, jogaram em certos momentos com o coração e noutros com a cabeça, para conseguirem a passagem à Final Four. Foi decisivo o domínio dos ressaltos: 39 contra 27. Pelo segundo ano consecutivo, o Madrid está entre os quatro melhores da Europa, e vai lutar para ser coroado rei do Velho Continente. O primeiro obstáculo será o Barcelona no próximo dia 16 de Maio. Llull (20 pontos) e Reyes, espectacular nos ressaltos, foram os melhores num dia em que toda a equipa cumpriu e contribuiu para a vitória.

As bancadas, com quase 14.000 espectadores, encarregaram-de de aquecer um pavilhão onde se desenrolava a última batalha. Nenhuma das equipas surpreendeu de início. Ambas fizeram alinhar os cinco habituais e quiseram tomar conta do jogo. Os primeiros compassos foram de expectativa, mas logo os brancos encontraram o ritmo e quiseram ganhar vantagem no marcador, sobretudo graças a um Sergio Llull que para começar conseguiu o que não se tinha conseguido em Atenas, marcar no contra-ataque. Ajudado por Rudy, que teve de ser substituído devido às duas faltas que fez, e por Darden, muito atento, os brancos entraram no segundo período com uma vantagem de 6 pontos (18-12).

Após várias tentativas de ambas as partes de tomar conta do jogo, e depois do Madrid conseguir uma vantagem de 13 pontos sobre os gregos (38-25) no segundo período quando as exibições de Reyes, Mirotic e do Chacho acompanharam a de um Llull monumental, o Olympiacos regressou ao jogo. Voltaram a tomar protagonismo os árbitros que marcaram uma falta técnica a Pablo Laso que desconcentrou os locais e fez com que o Olympiacos voltasse à discussão do jogo após um parcial de 0-7, para ir para o intervalo com 40-34 no marcador, e com o segundo período empatado a 22 pontos.

Llull foi o melhor na primeira metade. Rudy brilhou na segunda

O base de Menorca, bastante certeiro desde os 6,75 m, foi uma boa novidade para a equipa que até agora na série tinha em Rudy o melhor jogador. O natural de Menorca chegou ao intrevalo com 15 pontos marcados, sendo assim o melhor marcador da equipa. Além do mais, obteve 19 de valorização, com 2 assitências e 2 ressaltos.

No regresso ao parqué assistiu-se, novamente, a tentativas de recuperar e aumentar distâncias de ambas as partes. Mirotic, que já tinha feito uma boa primeira parte ganhou o protagonismo de Llull e encarregou-se de liderar. E Rudy voltou a demonstrar que Milão é o seu objectivo seguinte, durante toda a segunda metade. Entrou no terceiro período com dois pontos e a partir daí começou a somar à conta pessoal (no terceiro conseguiu marcar 8. Não contou um espectacular afundanço em cima da buzina). Não obstante, e apesar dos brancos terem conseguido graças a grandes movimentos defensivos e à ajuda dos mais altos, uma vantagem de 12 pontos, os gregos não perderam o norte em nenhum momento. No final e graças ao trabalho durante o jogo de Lojeski e Petway, em grande nível, acabaram o período com 59-52 no marcador. Igual a dizer, vivos.

O Madrid não deu hipóteses ao Olympiacos nos ressaltos ofensivos
Com as esperanças do Olympiacos ainda vivas, Felipe Reyes e o seu espírito de luta fizeram as delícias de um Palácio que já sentia a equipa na Final Four. O capitão, muito activo na captura dos ressaltos ofensivos, e acompanhado nestas lides por Bourousis, ofereceram novas oportunidades à equipa e foram determinantes para a vitória. O Madrid atingia a maior vantagem durante este período. O Olympiacos, que no princípio se aguentou graças às suas individualidades, acabou por cair. O Madrid garantiu a presença na Final Four e vai defrontar o Barcelona no dia 16 de Maio.

REAL MADRID 83 (18+22+19+24): Llull (20), Rudy (15), Darden (6), Mirotic (10) e Bourousis (8) --cinco inicial--; Reyes (15), Sergio Rodríguez (8), Díez (-), Mejri (0), Slaughter (1), Carroll (0) e Martín (-).

OLYMPIACOS 69 (12+22+18+17): Mantzaris (2), Spanoulis (19), Lojeski (15), Dunston (4) e Petway (9) –cinco inicial--; Shermadini (-), Sloukas (3), Collins (3), Simmons (7), Printezis (4) e Papapetrou (3).

Pesquisar