LazoGanadores de Champions LeagueOtro

Campeões da Liga!

CRÓNICA. 19/06/2022. Edu Bueno. Fotógrafo: Víctor Carretero

O Real Madrid, com o MVP Tavares em destaque, conquista o título pela 36ª vez na história, ao ganhar 1-3 ao Barça na final.

Real Madrid sagrou-se campeão da Liga, ao vencer o Barça no quarto jogo e colocar um definitivo 1-3 na final em que não beneficiou do factor casa. Numa temporada carregada de adversidades, os nossos jogadores conquistaram a 36.ª Liga da história do clube e o segundo troféu da época, depois da Supertaça de Espanha. O WiZink Center, emoldurado por adeptos incríveis, voltou a revelar-se decisivo no apoio a uma equipa que fez um último grande esforço para se impor num jogo muito equilibrado e no qual Tavares foi responsável por marcar a diferença, graças a números impressionantes: 41 de valorização em 30 minutos, sendo designado MVP da final. Grande desempenho também de Causeur e de Chus Mateo, e da respectiva equipa técnica, num triunfo com dedicatória especial para Pablo Laso. O treinador continua a agigantar um palmarés lendário: 22 títulos em 11 temporadas.
 
Com o Palácio lotado, como se exigia nesta final, o Real Madrid començou por ganhar o primeiro período. Foram dez minutos de pouco acerto, mas durante os quais os nossos jogadores estiveram sempre na frente, graças a um 7-0 inicial, uma defesa sem fissuras e uma superioridade nos ressaltos ofensivos, lucrando mais no ataque do que na defesa (7-6) com um colossal Tavares (8 pontos sem falhas, 4 ressaltos e 21 de valorização). O Barça, melhor nos triplos, procurava resistir à arrancada madridista (13-10).
 
Altos e baixos
Fundamental esteve a inspiração de Llull Rudy, num início de segundo período que foi liderado através de um espectacular parcial de 11-0 em 3 minutos, com 6 pontos do capitão, inluindo um 2+1 da equipa, e outros 5 do poste para se chegar com +14 aos 13 minutos (24-10). A entrada de Exum e a condução de jogo de Jokubaitis fizeram melhorar o ataque azulgrana, que à custa de triplos (5) e da recuperação de ressaltos, voltaram a meter-se na discussão do encontro neste segundo quarto. Os nossos, que passaram por uma pequena quebra de energia, cometeram alguns erros precipitados e baixaram a percentagem de acerto, recorreram a um Tavares dominante na zona para chegarem na frente ao intervalo (34-33).
 

vídeo.81-74: Campeões da Liga!

No reatamento, o Madrid recuperou a intensidade que parecia ter sido arebatada pela Barça. Voltou a concentração nas acções defensivas e melhorou a eficácia no ressalto. Causeur, com as suas penetrações, e Tavares, um gigante debaixo de ambas as tabelas que chegava aos 19 pontos e 30 de valorização, garantiram uma vantagem de 7 pontos (50-43, ao minuto 27). Foi dado ao poste o merecido descanso e os azulgranas, com Calathes eficaz no lançamento de três pontos e nos lances livres, passaram para o comando do marcador pela primeira vez no jogo, decorria o minuto 30. Situação que durou apenas até à jogada seguinte. Poirier remediou as coisas antes do final do terceiro período (57-56).
 
O Palácio rendido a uma grande equipa
Dez minuos separavam o Madrid do título. Mas com o Barça no melhor momento da final, o Palácio aumentou a pressão e empurrou a equipa, tendo esta feito o resto. Surgiram as jogadas decisivas nestes playoffs: Hanga, primeiro, Deck, depois e, a concluir, um Causeur a marcar a diferença em 6 pontos seguidos nos dois últimos minutos, numa fase em que o rival começava a não ter opções. Com um grupo apoiado na figura de Tavares, coube a este deixar marca profunda num jogo em que criou uma obra prima: 25 pontos, 13 ressaltos 41 de valorização ao cabo de 30 minutos, a apenas dois dígitos da sua melhor actuação como madridista. Um 2+1 e um ressalto ofensivo mostraram a subida de rendimento de Causeur no sentenciar de um título merecido (81-74). Com nota 10 para os adeptos, o 19 de Junho será outra data que o madridismo jamais esquecerá. Há nove anos, ganhou neste mesmo dia a 31ª Liga  e há quatro a 34ª. Agora, juntou a elas a 36ª.

Pesquisar