EmiratesAdidas
Barcelona - Real Madrid

Lopetegui: “Na minha cabeça só penso em levantar o moral dos meus jogadores"

NOTÍCIA | 28/10/2018 | Alberto Navarro (Barcelona)

“O terceiro golo terminou com as nossas esperanças e depois foi um castigo excessivo”, acrescentou o treinador. 
Julen Lopetegui compareceu na sala de imprensa de Camp Nou. O treinador do Real Madrid disse: “Uma derrota é sempre dura e em casa do Barcelona ainda mais. Tivemos um momento para dar a volta, ocasiões claras para empatar e ganhar o jogo na segunda parte. Na primeira foram superiores e na segunda mudamos algumas coisas e estivemos melhor”.

“Tentamos discutir o resultado e não conseguimos. No final tivemos azares e lesões.  O terceiro golo terminou com as nossas esperanças e depois foi um castigo excessivo ao abrir o jogo e eles terem sido mais contundentes”.

Resultado
“O resultado não reflecte o sucedido, mas é assim. Na primeira parte tivemos ocasiões, mas o penálti castigou-nos muito. Na segunda parte tivemos uma bola nos ferros e muitas ocasiões. Não conseguimos. Reprovamos o facto de não termos tido mais bola e não os termos feito correr mais. Com o 3-1 o jogo acabou”.

Estado de espírito 
“Estou triste e é um golpe duro, mas estamos em Outubro, tenho forças para pensar que isto é reversível e tenho confiança no grupo. Pouco a pouco, os jogadores vão recuperando o seu estado de forma e tivemos muitas lesões Posso continuar a dirigir este grupo sem dúvida alguma”. 

TEMOS QUE NOS LEVANTAR, ACREDITAR E INSISTIR. NÃO HÁ OUTRA SOLUÇÃO. 

“A responsabilidade final é sempre do treinador, mas aqui ganhamos todos e perdemos todos. Continuo a pensar que estamos na altura da época em que estamos, e apesar de ser um dia muito triste, estou convencido de que o segundo momento de forma desta equipa será melhor que o primeiro”.

Levantar-se
“A falta de eficácia em muitos jogos castigou-nos muito .Temos que nos levantar, acreditar e insistir. Não há outra solução. Na minha cabeça só penso em levantar o moral dos meus jogadores”.

Confiança
“No início da segunda parte tínhamos o jogo controlado, mas se não fores contundente e não aproveitares as oportunidades que tens os outros aproveitam e pouco mais se pode fazer. Não tenho nada a apontar a ninguém. Acredito neste grupo e nesta equipa. Agora estamos todos tristes, mas gostava de ver o que vai acontecer em Maio ou Abril. Quero fazê-los acreditar e no último mês aconteceu-nos de tudo. Estou convencido de que a equipa vai mostrar outra faceta, como a que mostrou hoje por momentos”.

Entenderia a sua destituição?
“A decisão não sou eu que a tomo. Já expliquei o que sinto, e a partir daí são outros a decidir”.

Pesquisar