EmiratesAdidas
Real Madrid - Valencia Basket

89-76: O Real Madrid está na final da Supertaça Endesa

Ver galeria

CRÓNICA | 26/09/2014 | Edu Bueno (Vitoria)

Rudy (21 pontos) e um enorme último período de Llull, no qual marcou quatro triplos, acabaram com a resistência do Valência Basket.

 
  • Supertaça de Espanha
  • Meias-finais
  • Sex, 26 Set
Fernando Buesa Arena (Vitoria)
89
76
O Real Madrid arrancou a temporada 2014-15 apurando-se para a final da Supertaça Endesa. Os brancos lutarão pelo terceiro título consecutivo depois de afastarem o Valência Basket numa meia-final muito equilibrada. O grande jogo dos madridistas, liderados por Rudy (21 pontos) e Llull, autor de quatro triplos num empolgante quarto período, serviu para dissipar todas as dúvidas que pudessem existir sobre o rendimento de uma equipa que dispôs de apenas três dias para preparar esta competição.

A entrada dos homens de Laso no jogo, com Rivers e Nocioni como novidades no cinco inicial na companhia de Llull, Rudy e Bourousis, foi típica de uma equipa com escasso ritmo competitivo, o que levou a que fossem cometidas diversas precipitações.

O adversário, pelo contrário, conseguiu impor um ritmo mais elevado para dominar o marcador desde o começo, com um ataque em que todos contribuíam com pontos, destacando-se Van Rossom (6) e Aguilar (5). O Madrid, primeiro por Rudy e Rivers, com seis pontos cada um, e depois graças aos bons minutos de Mejri, conseguiu manter-se na discussão no final do primeiro período (19-26, min. 10).

Laso acerta em cheio
Após várias rotações (aos 15' já tinha utilizado todos os seus jogadores à excepção de Sergio Rodríguez), Laso conseguiu uma equipa mais agressiva e intensa do ponto de vista defensivo. Maciulis foi o detonador do Madrid no ataque que, com um parcial de 12-5, empatou o jogo a 31 a meio do segundo período. O Valência Basket começava então a sentir mais dificuldades do que no início mas, fruto do trabalho no ressalto ofensivo de Harangody, Sato e Lishchuk e os pontos nas segundas bolas de Lucic e Loncar, mantinha-se na frente ainda que com vantagem reduzida (35-41, min. 18).

Cinco reforços fizeram a estreia oficial: Campazzo, Rivers, Maciulis, Nocioni e Ayón.

O regresso de Rudy antes do intervalo signficou um ponto de viragem na partida. Graças ao omnipresente extremo balear e a um grande Nocioni na posição 4 (marcou seis pontos consecutivos antes do intervalo que permitiram o empate a 43) foi possível dar a volta ao marcador, levando o Madrid a culminar a reviravolta e a estabelecer a maior diferença a seu favor após dois triplos do natural de Maiorca (56-49, min. 25). Os homens de Perasovic, no entanto, mantiveram a calma e, beneficiando também de uma quebra de intensidade dos brancos, anularam a desvantagem (58-58, min. 29).

Llull, Llull, Llull!!!
A igualdade manteve-se durante um último período de enorme intensidade. Ambas as equipas mostraram todo o seu reportório. Antecipou-se o Valência Basket, com dois triplos de Van Rossom e vários cestos de Loncar (62-64), mas foi o incrível Llull quem desestabilizou o encontro. Os seus três triplos e um quarto de Rudy, em apenas dois minutos, foram o momento decisivo do jogo para o Madrid, que ganhou uma vantagem de +6 à falta de três minutos para jogar. Reyes encarregou-se de dar a estocada final e Llull, novamente, coroou uma grande exibição com um quarto triplo, fechando o apuramento para a final (89-76, min. 40).

 

5

Extremo

23

Base-escolta

Pesquisar