EmiratesAdidas
Real Madrid - Barcelona

93-98: O Real Madrid perde a vantagem do factor casa na final

Ver galeria

CRÓNICA | 19/06/2014 | Edu Bueno | FOTÓGRAFO: Ángel Martínez

Dois períodos, o primeiro e o último,  impediram os pupilos de Laso de somar a primeira vitória na série, e o Barcelona  ganha vantagem (0-1). Dentro de 48 horas há uma oportunidade para empatar a final, no Palácio. 
  • Liga Endesa
  • 1 (Playoff final)
  • Qui, 19 Jun
Palacio de los Deportes
93
98
O Real Madrid vai ter de recuperar e dar a volta se quiser ser campeão da Liga, depois de cair derrotado pelo Barcelona no primeiro encontro da final disputado no Palácio  dos Desportos. Os comandados por Laso emendaram um desacertado início com dois grandes períodos, mas a falta de pontaria nos momentos decisivos não permitiu vencer o jogo. Agora toca a pensar no segundo assalto já neste sábado, para empatar a eliminatória. Rudy foi o mais destacado dos madridistas com 16 pontos, oito ressaltos e sete assistências.

A final arrancou com o Barcelona a apresentar a sua melhor versão. Um parcial de 0-7 nos primeiros dois minutos, com cinco pontos de Nachbar, permitiu aos azul grená gerir o tempo de jogo. A falta de pontaria madridista (o primeiro triplo foi marcado apenas aos 8'), e a luta pelo ressalto defensivo perdida para Tomic pelos seus marcadores directos (sete pontos após ressalto), condenaram os brancos a ir a reboque, num período que durou quase meia hora devido a uma falha de luz (16-23, min. 10). 

Carroll deu outra frescura ao Madrid
O bom trabalho catalão esfumou-se na primeira investida dos locais. Durou três minutos. Dos 11' aos 13', mas a entrada do jogador norte-americano revolucionou a equipa. Nem Oleson nem Navarro o conseguiram parar, e com sete pontos comandou um parcial de 11-4 que empatou o embate a 27 pontos. No entanto, o Madrid não melhorou na defesa, e o adversário, muito eficaz através de Navarro, Abrines e Romic, respondeu com outro parcial de 0-9 para recuperar a liderança do marcador (33-44, min. 18).

O Real Madrid igualou o Barcelona em valorização (102).

O Madrid apelou ao lema "Acreditar, lutar e ganhar", que estava estampado nas camisolas com que receberam os mais de treze mil madridistas que encheram o Palácio, e entre o final do primeiro tempo e o terceiro período exibiu o seu melhor basquetebol. Deu luta nos ressaltos, correu, e começaram a entrar os triplos, principalmente. Quatro neste período. 

Um parcial de 34-20, com o quarteto Rudy Fernández (14 pontos), Llull, Darden e Bourousis (dez pontos cada um), culminou a recuperação, e deu a primeira vantagem ao Madrid com 67-64 no marcador aos 27'. A equipa de Laso tinha o turbo ligado e alterou o rumo do jogo com dois períodos espectaculares em termos de pontos marcados (28 e 29). Não fosse o grande jogo de Nachbar (17 pontos) e a erupção de Huertas, talvez a diferença tivesse sido maior no final do terceiro acto (73-70, min. 30). 

O Madrid não segurou a vantagem
Os últimos dez minutos começaram com uma troca de triplos, e a igualdade não se desfez até ao apito final. Sergio Rodríguez e os bons minutos de Mejri na zona restritiva (oito pontos) respondiam à dupla Lampe-Tomic (84-85, min. 36). Mas o Barcelona geriu melhor os instantes decisivos, e com Navarro a marcar desde a linha de lançamentos livres, ganhou uma vantagem de quatro pontos que já não perderia. 

Os brancos procuram resolver desde a linha dos 6,75 m. Llull, Bourousis e Rudy não marcaram e os azul grená carimbaram o triunfo através de lançamentos livres (93-98, min. 40). Dentro de 48 horas assistiremos ao segundo assalto no Palácio. 

Ficha técnica
REAL MADRID 93 (16+28+29+20): Llull (12), Rudy (16), Darden (10), Mirotic (4) e Bourousis (10) --cinco inicial--; Reyes (6), Sergio Rodríguez (16), Mejri (8), Slaughter (2) e Carroll (9).

F. C. BARCELONA 98 (23+25+22+28): Huertas (12), Navarro (14), Papanikolau (6), Nachbar (17) e Tomic (17) –cinco inicial--; Sada (2), Oleson (5), Abrines (7), Lorbek (5), Dorsey (5) e Lampe (8).
 

Pesquisar