EmiratesAdidas

Barcelona - Real Madrid

1-2: O Real Madrid volta a reinar no Mestalla

Ver galeriaVer video

CRÓNICA | 16/04/2014 | Alberto Navarro (valencia)

O golo de Di María e o golaço de Bale depois de de uma jogada para recordar dão a vitória diante do Barcelona, e dão ao Real Madrid a 19ª Taça do Rei.
  • Taça do Rei
  • Final
  • 16/04/2014
Mestalla
1
2
A ilusão e a vontade de dar uma alegria aos adeptos pesam muito mais do que as baixas, por mais importantes que sejam. Foi isso que demonstrou o Real Madrid sobre o relvado do Mestalla, novamente talismã, para ganhar a 19ª Taça do Rei num jogo que vai ficar para a história. O começo dos madridistas foi fulgurante. Em dez minutos já se tinham adiantado no marcador e tinham tido mais duas oportunidades claras para marcar, as únicas que se puderam observar no jogo até ao momento.

Bale foi o primeiro a tentar a sua sorte, mas o seu disparo aos 5' foi demasiado cruzado. O galês voltou a protagonizar outro lance um minuto mais tarde. O seu remate esbarrou em Mascherano. Foram os dois primeiros avisos porque à terceira jogada foi de vez. Isco recuperou a bola no centro do terreno e iniciou um contra-ataque espectacular aos 10'. Participaram, por esta ordem, Bale, Benzema e Di María, que bateu Pinto no frente a frente.

O contra-ataque foi como mandam os livros, daqueles que servem de exemplo nas escolas de futebol. 

O Real Madrid já tinha encontrado o caminho e sabia que quanto mais tempo tivesse a bola, menos possibilidades havia para o adversário causar perigo. De facto, o primeiro e único remate do Barcelona enquadrado com a baliza na primeira parte foi aos 23'. O remate de cabeça de Alba foi fraco e à figura de Casillas. Sem dúvida, apenas os madridistas criavam perigo. Defenderem muito juntos e inclusivamente podiam ter ido para o intervalo com mais algum golo, caso estivessem mais acertados nos contra-ataques que surpreenderam a equipa azul grená.

Pouco mais se podia pedir ao Real Madrid, e o início da segunda metade confirmou as boas sensações transmitidas pelos brancos. Bale, como tinha acontecido no início do confronto, foi o primeiro a rematar. A jogada individual, na qual fugiu a dois adversários, foi soberba, mas o seu remate não acertou na baliza aos 48'. Eram os melhores momentos dos madridistas, que aos 67' podiam ter ampliado a vantagem. O tiro de Benzema junto ao poste obrigou Pinto a aplicar-se.


Bale decidiu o jogo com uma jogada de génio
Parecia mais próximo o segundo golo madridista que o do empate, mas num canto Bartra rematou de forma inapelável com a cabeça e igualou o resultado aos 68'. O azar bateu à porta da equipa de Ancelotti. Faltavam mais de vinte minutos infartantes pela frente.

A dúvida foi desfeita por Bale com uma jogada espectacular. Um golo, que como ocorrera três anos antes com o de Cristiano Ronaldo, vai ficar para a história pela importância e beleza de execução. O galês dominou junto à linha e fez uma finta sobre Bartra, que no sprint ainda o obstruiu. Mas nada travou o futebolista branco, que cheio de força encarou Pinto e bateu-o por entre as pernas aos 85'. Tudo a uma velocidade vertiginosa. O Real Madrid ganha o primeiro título do ano. Campeões da Taça. Parabéns.

Ver Toda A Info Sobre OsBarcelona-Real Madrid
Real Madrid Sevilla FC
Buscar