1. Close
    Classic MatchCorazón Classic Match 2019
    vivê-la emSantiago Bernabéu
    Real Madrid LeyendasReal Madrid Leyendas
    vs
    Chelsea LegendsChelsea Legends
    Informação do jogo
    Classic Match, Corazón Classic Match 2019
      Santiago Bernabéu
     06/23/2019

    partilharfacebooktwittergoogle +

EmiratesAdidas

Seleccione a plataforma preferida para comprar os seus bilhetes

    1. Heysel viveu a sexta Taça da Europa do Real Madrid
    2. Gento, o único futebolista que venceu seis Taças dos Campeões Europeus.

    1961-1970

    A equipa encontrava-se numa fase de renovação. Em Espanha foi esmagadora, tendo ganho oito campeonatos da Liga, cinco deles de forma consecutiva, com “dobradinha” campeonato e Taça. Além-fronteiras conseguiu a Sexta Taça dos Campeões, ganha pelo Real Madrid dos ‘yé-ye’.

    Na temporada 1961-62, o Real Madrid voltou a realizar uma grande época com um doblete (Liga e Taça), e foi vice-campeão europeu. No dia 18 de Março de 1962, o Madrid conquistou o campeonato em casa, a faltarem duas jornadas para o final. No dia 8 de Julho de 1962, o Madrid venceu o Sevilha na final da Taça por 2-1. 
     
    Líder em Espanha e no continente europeu. A 11 de Maio de 1966, o Real Madrid voltou a conquistara a Europa, frente ao Partizan (2-1). Sem Di Stéfano nem Puskas, o veterano era Gento. Completavam o onze titular Araquistáin, Pachín, Pedro de Felipe, Sanchís, Pirri, Zoco, Serena, Amancio, Grosso e Velázquez. Depois de ganharem a Sexta Taça dos Campeões, quatro jogadores deixaram-se fotografar imitando os Beatles. A partir daí, passaram a ser conhecidos como o Real Madrid ‘yé-yé’, por causa do refrão da canção da banda britânica ‘She Loves You’.

    1961 - 1970
    1. PRIMEIRA TAÇA INTERCONTINENTAL

      O Real Madrid inaugura o seu palmarés nesta competição ao derrotar a equipa uruguaia de Peñarol.

    2. A TAÇA DA EUROPA ' YE-YE'

      Miguel Muñoz, Santiago Bernabéu e Gento exibem sorridentes a sexta Taça da Europa.

    3. UMA MULTIDÃO EM BARAJAS PARA RECEBER OS CAMPEÕES

      O aeroporto encheu-se de aficionados para receber o Real Madrid depois de conquistar a sexta Taça da Europa.

    4. PIRRI, REFERÊNCIA NUM NOVO MADRID

      O central foi determinante na equipa dos “Ye-Ye” que recuperou o trono europeu.

    Siguiente Anterior

    A magia de ‘El Brujo’

    Bernabéu percebeu que a equipa precisava de renovação caso pretendesse continuar a ter as mais altas aspirações. Em 1962 descobriu o elemento necessária para concretizar esse desejo, um avançado galego de 22 anos. Amancio Amaro, ‘El Brujo’ [O Bruxo], fora o principal artífice da subida do Deportivo da Corunha à Primeira Divisão. Desde que chegou ao Real Madrid tornou-se indiscutível nas equipas de Miguel Muñoz. Tornou-se dono e senhor da ala direita. À custa der exibições brilhantes, conquistou os adeptos madridistas.

    A magia de ‘El Brujo’

    O berço da cantera branca

    Com o objectivo de passar a ter um centro de desporto para o clube, Santiago Bernabéu inaugurou a Cidade Desportiva a 18 de Maio de 1963. Um complexo desportivo que contava com campos de futebol, de ténis e pistas de atletismo. Algum tempo depois construiu-se um pavilhão de basquetebol, piscinas e uma pista de patinagem no gelo. Situada na Avenida de la Castellana, a obra causou espanto pelo carácter inovador para a época. Não só engrandeceu o património do clube como acolheu os futuros valores da formação (cantera) branca.

    O berço da cantera branca

    A “Seta Loira” diz adeus

    Depois de 11 temporadas em que rubricou tardes de glória ao serviço do Real Madrid, Alfredo Di Stéfano despediu-se dos adeptos brancos. Teve um percurso incrível e recheado de êxitos, que teve o último jogo oficial a 27 de Maio de 1964. Três anos depois, recebeu uma merecida homenagem frente ao Celtic Football Club. Ao minuto 13, o ídolo do madridismo tirou a braçadeira de capitão e entregou-a a Grosso. O Bernabéu despediu-se dele com uma estrondosa ovação, depois de ter marcado 308 golos oficiais como jogador do clube branco.

    Quinta Liga consecutiva

    Os investimentos na equipa branca continuavam a dar frutos. A 18 de Abril de 1965, o Real conseguiu a quinta Liga consecutiva. Era a primeira vez na história do clube que se conseguiam cinco campeonatos consecutivos. Nesta temporada (1964-65) chegaram os primeiros jogadores que seriam baptizados como ‘Yéyé’: Grosso, Pirri, Sanchís e De Felipe.

    Palmarés

    Taças dos Campeões - 1

    Taças dos Campeões

    1
    Campeonato - 8

    Campeonato

    8
    Taças de Espanha - 2

    Taças de Espanha

    2
    Siguiente Anterior
    Buscar