EmiratesAdidas
Real Madrid - Atlético de Madrid

1-1: A Décima Primeira já é nossa

GaleriaVideo

CRÓNICA | 28/05/2016 | Alberto Navarro e Javier García (Milão)

Os brancos venceram o Atlético numa final épica, disputada em Milão, resolvida nos penáltis (5-3), depois dos golos de Ramos e Carrasco no tempo regulamentar.
  • Champions League
  • Final
  • Sáb, 28 Mai
Giuseppe Meazza
1
1
Foi sofrer até ao último segundo, mas são poucas as equipas tão fiáveis como o Real Madrid numa final de uma prova europeia. Apesar de ter disputado praticamente todo o prolongamento sem substituições e com Bale, Cristiano Ronaldo e Modric visivelmente tocados, os merengues, dois anos depois de vencerem igualmente o Atlético, em Lisboa, recuperaram a hegemonia continental e ergueram ao céu de Milão a Décima Primeira, após um encontro épico, sem tréguas e decidido nos pontapés desde a marca de grande penalidade.

Desde o início foi possível  ver uma equipa concentrada, unida na luta por um objectivo comum. Esteve perto de marcar ao minuto 6, mas Oblak salvou o seu conjunto num remate de Benzema dentro da pequena área, após um livre executado por Bale. Este, nove minutos mais tarde, podia ter inaugurado o marcador. O golo acabaria por surgir através de Ramos, tal como em Lisboa, e também surgiu na sequência de um lance de bola parada. Kroos fez o cruzamento, Bale penteou a bola e o capitão madridista introduziu-a na baliza, antecipando-se à defesa vermelha e branca.

Penálti falhado
Apesar do golo sofrido, o Atlético não alterou um milímetro o guião com que se apresentou no relvado. Limitava-se a esperar por um erro para penalizar um rival que se mostrava muito compacto e quase sem fissuras. Poucas mais ocasiões foram possíveis de contabilizar até ao intervalo, salvo um par de tímidos remates de Griezmann que apenas implicaram um maior aperto a Keylor Navas.

 

PRIMEIRO TÍTULO EUROPEU QUE O REAL MADRID OBTÉM NAS GRANDES PENALIDADES.

A segunda parte começou muito mais movimentada. Logo aos dois minutos do reinício, Clattenburg asssinalou um derrube de Pepe a Torres, mas Griezmann enviou a bola à trave desde a marca dos onze metros. Mau grado o susto, manteve-se tudo na mesma até que aos 52' Zidane viu-se obrigado a trocar o lesionado Carvajal por Danilo

Claras ocasiões madridistas
Os minutos iam passando e jogando a favor dos merengues, que estiveram muito perto de aumentar a vantagem aos 70'. Claríssima foi a oportunidade de Benzema na cara do guarda-redes adversário, após um grande passe de Modric, só que Oblak foi eficiente e evitou o tento madridista. Também clara foi a oportunidade tida por Bale aos 78'. Savic salvou em cima da linha de baliza.

Empatou Carrasco
Um minuto depois empataram os hoje designados visitantes. Juanfran centrou na direita e Carrasco marcou sem oposição. Tudo empatado a onze minutos do final. O prolongamento começava a tornar-se realidade. Foram necessários disputar 120 minutos para se conhecer o campeão e o Real Madrid mostou-se dominador no início desse período. Foi sua a primeira jogada de perigo. Isco marcou o canto aos 94' e o remate de Cristiano Ronaldo ficou nas mãos de Oblak. Não houve muitas mais ocasiões na primeira parte do prolongamento. O mesmo se pode afirmar relativamente à segunda, exceptuando um remate de Casemiro aos 107'.

A Décima Primeira chegou nos penáltis
Ficou tudo adiado para a série dos penáltis. O momento chave surgiu quando Juanfran, no quarto remate do conjunto vermelho e branco, atirou ao poste. Cristiano Ronaldo, tal como fizeram Lucas Vázquez, Marcelo, Bale e Ramos, não falhou desde os onze metros e deu ao Real Madrid uma nova Liga dos Campeões Europeus. Parabéns! A Décima Primeira já é nossa

Pesquisar