EmiratesAdidas
Real Madrid - Unicaja

98-93: Reviravolta e vitória do Madrid sobre o Unicaja no prolongamento

Ver galeria

CRÓNICA | 06/06/2014 | Edu Bueno | FOTÓGRAFO: Ángel Martínez

Os brancos chegaram a ter uma desvantagem de 12 pontos mas deram a volta ao jogo e fizeram o 1-0 na eliminatória com um grande Mirotic (16 pontos, oito ressaltos e 28 de valorização).
  • Liga Endesa
  • 1 (Playoff Meias-finais)
  • Sex, 06 Jun
Palácio dos Desportos
98
93
A estreia dos brancos nas meias-finais começou de forma insólita. O cronómetro de uma das tabelas tornou-se no protagonista de um primeiro período que durou 48 minutos, fruto de duas paragens, aos 13 segundos quando estava 2-0 para o Madrid, e aos 5 minutos quando o marcador assinalava 6-14 para o Unicaja. Durante esse tempo, os visitantes impunham-se graças ao controlo do ressalto, através de Vázques e Medley, e de um ataque que concretizava após transições rápidas. Um triplo de Toolson no reatamento ampliou o parcial para 7-0, estabelecendo a máxima diferença aos 6', com 6-17.
Ponto de viragem dos madridistas

Os brancos despertaram com uma defesa muito mais agressiva, liderada por um Mirotic soberbo (13 de valorização), o que lhes permitiu correr e pôr em prárica o seu melhor jogo ofensivo. Darden, muito activo no lançamento (sete pontos), e o próprio extremo-poste (outros sete) devolveram o parcial ao Unicaja, com um 11-2 que permitiu terminar o primeiro período a apenas um ponto (20-21, min. 10).

O jogo ficou, então, lançado no segundo período. O Unicaja dominou os minutos seguintes com um Calloway em grande (dez pontos nesse período) e, sobretudo, uma eficácia espectacular da linha de 6,75, conseguindo uma cómoda vantagem que nunca foi inferior a sete pontos. À base de triplos, cinco no total, mantinham à distância um Madrid mais voluntarioso do que acertado (2/10 em triplos). Apenas o esclarecimento do Chacho e a intensidade de Reyes (oito pontos e dois ressaltos ofensivos) deram réplica à inspiração atacante do adversário, que neste segundo período totalizou 31 pontos (41-52, min. 20).

CINCO JOGADORES DO REAL MADRID PASSARAM A DEZENA DE PONTOS.

O arranque do terceiro período não parecia correr melhor ao Madrid. Vázquez punha os homens de Plaza com +12, aos 22', depois de duas iniciativas de Rudy e Mirotic para diminuir a desvantagem (45-57). No entanto, os donos da casa aumentaram a intensidade no jogo exterior e começaram a encestar de fora. Darden e Llull, os melhores até ao momento, e Bourousis acertaram nos triplos. Um alley-oop de Rudy para um afundanço de Slaughter metia-os de novo na discussão do encontro, com um parcial de 13-3 (58-60, min, 27). A resposta surgiu por Toolson e Granger com triplos que mantiveram os andaluzes na frente do marcador no final desse período (67-68, min. 30).

A falta de acerto tomou conta dos primeiros minutos do último período, caracterizado pela intensidade e pela incapacidade de ambas as equipas em asumirem o controlo do jogo. Acabou por ser o Madrid a dar o passo em frente. Após três minutos sem marcar, não obstante o empenho colocado em cada acção, conseguiu culminar a ansiada reviravolta graças a um grande trabalho de Slaughter na sua tabela e ao talento no ataque da dupla Rudy-Sergio Rodríguez, quebrando a melhor defesa dos playoff (81-76, min. 38).

Mas quis o destino e a dinâmica do encontro que este tivesse um final dramático. O Unicaja reagiu a tempo, através de Vázquez e Toolson, e empatou a partida a 81 no último minuto. Suárez neutralizava um lançamento de Llull a 18 segundos do fim e o Chacho não acertou o lançamento final. 83-83 e prolongamento.

Tempo de Mirotic
O Madrid nunca deixou de acreditar na vitória e ratificou essa atitude no tempo extra. Mirotic tratou de carregar a equipa às costas. Os seus oito pontos, com dois triplos incluídos, deram à sua equipa uma vantagem de +5 que se tornaria preciosa à falta de dois minutos (94-89). O Unicaja não se rendeu e claudicou apenas a 20 segundos do final, graças a uma grande defesa da equipa branca que provocou a perda de bola de Granger (98-93, min. 45).

REAL MADRID 98 (20+21+26+16+15): Llull (18), Rudy (12), Darden (12), Mirotic (16) e Bourousis (8) -cinco inicial- Carroll (1), Sergio Rodríguez (15), Reyes (8), Díez (0), Slaughter (8), Mejri (-) e Martín (-).

UNICAJA DE MÁLAGA 93 (21+31+16+15+10): Granger (11), Toolson (13), Suárez (9), Caner-Medley (9) e Vázquez (17) -cinco inicial- Calloway (13), Sabonis (-), Vidal (-), Kuzminskas (6), Hettsheimeir (2), Urtasun (9) e Stimac (4).

Pesquisar