EmiratesAdidas
Real Madrid - Barcelona

87-78: Real Madrid põe a final empatada (1-1)

Ver galeria

CRÓNICA | 21/06/2014

Grande exibição de Bourosis e Mejri, com 23 pontos e 14 ressaltos entre ambos, num jogo em que Rudy foi o melhor marcador (17 puntos).
  • Liga Endesa
  • 2 (Playoff Meias-finais)
  • Sáb, 21 Jun
Palácio dos Desportos
87
78
A segunda batalha de uma guerra que pode ser longa. Depois de sofrer um primeiro golpe, o Real Madrid voltou à carga e corrigiu a derrota anterior averbada frente ao Barcelona. Pôs a final empatada e viajará até ao Palau, com 1-1. Os de Laso revelaram um forte alento no Palácio dos Desportos para igualar a série. Mejri e Bourousis ganharam a luta interior aos azuis grená e Rudy foi o melhor marcador num encontro em que o domínio dos ressaltos teve uma enorme importância (42 para os locais; 32 para os visitantes).

Os adeptos deram asas à equipa e nas bancadas estiveram 12.000 pessoas. O Real Madrid iniciou a partida revelando uma maior intensidade a defender do que durante todo o playoff (2 pontos do Barcelona em 4 minutos). Com Darden e Rudy como setas apontadas ao ataque, os brancos arrancaram a todo o gás, se bem que Navarro, com dois triplos consecutivos, tenha procurado colocar um travão.

De 10-8, os de Laso chegaram a 20-8, um parcial de 10-0 alcançado, em grande medida, pelas perdas de bola dos adversários (5 no primeiro parcial), que acabariam depois por se traduzir em cestos para os brancos, mais precisamente à custa de seis pontos seguidos de Bourousis, super-eficaz e atento nas recuperações. Sada ainda rompeu o parcial, mas de pouco serviu. Foram para o segundo período com 24-14, depois de um cesto de Mejiri, em cima da buzina, e após dois ressaltos ofensivos.

Momento Mejri
Um acerto na defesa na equipa de Pascual fez com que os locais tivessem de sofrer algo mais para recuperar nesse capítulo, em que a recolha de pontos no período anterior se revelou de grande utilidade. Mejri, quase omnipresente e jogando excelentes minutos, foi a melhor notícia.O pivô tunisino manteve um elevado rendimento, concretizando e dando espectáculo (2 afundanços e dois bloqueios no quarto período, e ainda melhor marcador, bem como superior nos ressaltos).

A VALORIZAÇÃO DO REAL MADRID FOI DE 105 CONTRA 66 DO BARCELONA.

Ao intervalo já venciam por 40-30, com um claro domínio nos ressaltos, 26 contra 15, e com 52 de valorização contra 20 dos azuis grená, apesar de não existir um elevado acerto de parte a parte (2 triplos por equipa). Draper jogou os últimos segundos da primeira metade.

O Real Madrid regressou de mão quente após o descanso. Novamente apoiada nas acções de Rudy, que nunca deixa de marcar presença, a equipa colhia dividendos e lograva diferenças máximas. Um engarrafamento no ataque azul grená, que fez 7 pontos em cinco minutos, permitiu à formação de Laso uma diferença de 15 pontos (52-37, 25 minutos). No entanto, a partida estava ainda longe de ficar sentenciada.

Precisamente na altura em que Rudy estava mais enérgico, depois de ter marcado 12 pontos em 7 minutos, teve de retirar-se a coxear; uma ausência sentida, e de que maneira, pela equipa. O Barcelona apanhou desprevenidos os de Laso e fez um parcial de 2-12, que tornou as coisas muito mais complicadas para os brancos: 56-51. Finalmente, e graças ao acerto desde a linha de lançamento livre, surgiu o 58-51.

Onze pontos em dois minutos
Toda a falta de eficácia desde a linha dos três pontos, alterou-se por completo. Do lado do Barcelona era Oleson que desancava o aro local; do lado dos merengues, Carroll e Chacho. Os bombardeiros transformaram os primeiros minutos num intercâmbio de triplos. O Madrid anotou 11 pontos em 2,19 segundos (3 triplos, 2 lançamentos livres). Mas Olsen, explosivo, procurava a coroação e continuava a causar estragos, bem auxiliado por Navarro.

"El Chacho" não estava disposto a fraquejar e continuou a facturar (10 pontos neste período). Com um parcial de 1-7, os protegidos de Pascual encurtavam para seis pontos a distância no marcador (80-74), quando faltava um minuto e meio. Todavia, surgiu novo triplo de Darden, enquanto Reyes se encarregou de encerrar as hostilidades.

REAL MADRID 87 (24+16+18+29): Llull (4), Rudy (17), Darden (12), Mirotic (4) e Bourousis (12) -cinco inicial-; Reyes (10), Sergio Rodríguez (12), Carroll (5), Díez (-), Draper (-), Slaughter (-) e Mejri (11).

F. C. BARCELONA 78 (14+16+21+27): Huertas (11), Navarro (15), Papanikolau (2), Nachbar (7) e Tomic (4) –cinco inicial--; Pullen (-), Sada (6), Oleson (17), Abrines (2), Lorbek (7), Dorsey (5) e Lampe (2).

Pesquisar