EmiratesAdidas
Real Madrid - Herbalife Gran Canaria

O Real Madrid procura carimbar a passagem à final da Taça do Rei ante o CAI Saragoça

NOTÍCIA | 07/02/2014 | Eduardo Bueno (Málaga)

Depois da sua exibição frente ao Herbalife Gran Canária nos quartos, os comandados de Laso enfrentam o conjunto aragonês na primeira meia-final (amanhã, 18:10 horas portuguesas, La1).
O CAI Zaragoza será, amanhã, o adversário do Real Madrid nas meias-finais da Taça do Rei. A equipa branca, que arrasou o Herbalife Gran Canária na sua estreia, tentará carimbar a passagem à final frente a um adversário que deixou para trás o anfitrião Unicaja Málaga. Laso tem todo o plantel à disposição para este encontro.

Ao Real Madrid faltam dois encontros para conquistar o segundo troféu desta temporada. Depois de ter passado com distinção no exame dos quartos-de-final ante os canários (83-60), demonstrando grande superioridade, os de Laso enfrentam uma difícil meia-final contra uma equipa aragonesa motivada depois de causar a surpresa da primeira jornada com o afastamento do Unicaja Málaga na “sua” Taça (74-79).

Caso os brancos consigam manter o mesmo nível defensivo do primeiro jogo, terão muitas possibilidades de passar à final. No ataque, onde qualquer jogador pode levar a equipa às costas, e como afirmou Rudy após a vitória “os 123 jogadores podem ser o MVP”, tem um potencial assustador. Com Rudy lançado à conquista do seu terceiro troféu de jogador mais valioso, Mirotic de regresso ao seu nível e o Chacho a dirigir a orquestra (com oito, igualou o seu próprio recorde de assistências de um jogador do Real Madrid), o CAI terá de estar ao seu melhor nível durante os 40 minutos para poder fazer-lhes frente.

NA ÉPOCA PASSADA, O REAL MADRID GANHOIU AO CAI SARAGOÇA OS SEIS ENCONTROS DISPUTADOS.

Mas a Taça é uma competição diferente e o favoritismo dilui-se com o passar dos jogos. Os homens de Abós não têm nada a perder e jogarão sem pressão, tal como frente ao Unicaja, em que mostraram a sua consistência como equipa muito equilibrada entre o ataque e a defesa e com uma espinha dorsal de oito jogadores bem definida. O seu cinco inicial, apesar da dúvida sobre Michael Roll, devido à luxação sofrida num dedo da mão direita, é responsável pela maior parte da produção ofensiva.

A sobriedade de Llompart na organização de jogo, Rudez e Sanikidze compõem um jogo exterior que dá garantias. O croata e o georgiano são especialistas da linha dos 6,75 m, como ficou provado nos quartos-de-final, em que marcaram seis dos sete triplos da equipa. Não é menos perigoso o seu jogo interior, onde se misturam o talento de Shermadini e o músculo de Jones, sem esquecer a variante de Sanikidze na posição de quatro que lhes proporciona maior versatilidade. O duelo com Mirotivc será um dos grandes aliciantes desta meia-final.

No entanto, a profundidade do plantel madridista pode voltar a ser um factor decisivo. No jogo interior é onde mais se nota a superioridade branca. Tanto Bourousis como Reyes e Mirotic estiveram a uma nível elevado frente aos canários, enquanto Slaghter e Mejri podem contribuir com minutos de qualidade nas rotações.

Na época passada, o Real Madrid ganhou ao CAI Saragoça os seis encontros disputados, sete se acrescentarmos a Liga actual. E uma curiosidade: das três últimas vezes que o Real Madrid venceu nos quartos-de-final da Taça do Rei, acabou por disputar a final (2010, 2011 e 2012). Para conseguir o seu objectivo, os homens de Laso voltarão a contar com o apoio de mais de 1.200 adeptos nas bancadas do Martín Carpena, onde deram uma resposta espectacular no jogo com o Gran Canária.

Pesquisar